Friday, October 20, 2006

As Lingüiças - Parte I


A história das lingüiças começou mais ou menos assim. Certo dia, depois do banho matinal, a jovem descobriu que, no alto de sua cabeça, emaranhado entre fios de seu cabelo, havia um cordão. Intrigada, ela imaginou que fosse alguma brincadeira de seu noivo ou de sua irmã, conhecidíssima por idealizar já na infância um engenhoso sistema de canalização de suco de frutas. Fosse como fosse, resolveu livrar-se do cordão, pois não combinava nada com suas longas melenas. Primeiro, tentou a tesoura, mas ela revelou-se inadequada: uma parte do fio, mais próxima do couro cabeludo, insistia em continuar lá. Então, lembrando-se daqueles pêlos que nascem nos lugares mais indesejáveis, procurou a sua pinça no fundo da gaveta. Num movimento rápido, conseguiu arrancar o cordãozinho a partir da base. E partiu faceira para mais um dia de trabalho. Alguns dias depois, contudo, o alto da cabeça começou a coçar dum jeito tal, que nenhum anticaspa conseguiu dar conta. A jovem, desesperada, plantou-se diante do espelho e, não sem espanto, descobriu que ele, o cordãozinho, havia crescido. Logo, ela descobriu que tantas vezes quantas o cortasse, tantas ele voltava a crescer, firme e áspero como era da sua natureza. No início, ela quis disfarçar. Comprou um tubo de tintura de cabelo, mas não teve muito sucesso. O cordão não absorvia direito a tinta e, como resultado, destacava-se no meio dos fios ainda mais louros que o normal. Pensando nos tempos do colégio, tentou colori-lo usando canetas hidrocor, mas o resultado foi igualmente sofrível. Por fim, nada mais podendo fazer, a jovem resolveu aceitar o fardo que o destino lhe impingira e, desde então, enfeitado de conchas e pequenas flores, ele virou um tererê balouçante entre seus cachos.

6 comments:

deni said...

Quero mais!!! Heheheheh
Parece começo de conto de fadas...

vivi said...

Tem mais, tem mais: afinal, são três lingüiças!

hugh said...

Ufa! Por um momento tinha pensado que ousavam me incluir na tripa de lingüiças. Nada contra não me entendam mal: mas é que algo muito gay um homem ser considerado 'lingüiça'. No máximo, sou um salaminho desgarrado.

vivi said...

Hugh, eu adoro defumado, meu embutidozinho!

hugh said...

Grrrrrrrrrrrrrrr...

amendokrem said...

Hahahahahahaha...será uma corda de lingüiça ou o peso dos anos??? Muito bom, amorota, adorei!!!