Thursday, October 26, 2006

Sex in the City - Gay Harbour Edition

Nos primeiros episódios, de volta ao país natal, Daisy havia decidido inscrever-se num curso avançado de javanês. Já nos primeiros dias de aula, seu talento natural para as línguas fez com ela se sobressaísse na turma. Além de conquistar a sincera admiração do professor, Daisy acabou chamando a atenção de um de seus colegas. Cock, rapaz de aparência taciturna, demorou a se aproximar. Valendo-se, porém, de interesses comuns, ele apressou-se a conquistar a confiança da protagonista, arrancando-lhe o número do telefone.
O episódio de hoje tem como cenário inicial o escritório onde Daisy trabalha. Ela e Vicky, aproveitando uma brecha na atarefada rotina, reúnem-se para para conversar sobre os últimos acontecimentos.
- Vicky, não sei o que fazer!
- O que houve, Daisy? parece tão abatida!
- Vc não está enganada, Vicky, mal consegui pregar o olho esta noite.
- Mas o que houve?
- Você se lembra da história que contei sobre meu colega do javanês?
- Er, acho que sim. O nome dele não era Dick?
- Dick não, Vicky, ele se chama Cock.
- Certo, Daisy, diga-me o que aconteceu!
- Pois bem. Ele parecia um bom rapaz. Sempre foi educado e, na verdade, tinha um bom papo. Estava em casa, revisando a lição de javanês, quando ele ligou. Disse-me que tinha convites para um concerto. Bem, eu achei que não havia nada de errado... e acabei aceitando.
- Já sei! o concerto estava uma droga?
- ... na verdade não foi isso.
- Hmmm, então voi o solista! vc achou que era um gato, não é?!
- [Ei, como é que vc sabe disso?] Mas, infelizmente, não foi esse o problema.
- Vamos, Daisy, conte logo!
- Estou tentando, Vicky.
- Glup!
- Tudo aconteceu quando ele me deixou em casa. Ele ficou estranho, Vicky! Começou a a revelar um lado que eu desconhecia. Disse-me coisas que me deixam encabulada mesmo agora!
- Não estou entendendo vc, Daisy. E isso não seria bom? uma certa impetuosidade...
- Vc é que não está entendendo! Apesar de falar essas coisas todas, ele simplesmente ignorou a minha presença, amiga! Cock não tirava os olhos do retrovisor. A gota d'água foi quando ele tirou do bolso da camisa um pente, e começo a ajeitar os fios da sobrancelha.
- Sobrancelha, Vicky! Você sabe o que é isso?
- É, Daisy... vamos tomar mais um café. Hoje vc dorme mais cedo. Mas tire o telefone de gancho, sim?!
To be continued

9 comments:

deni said...

Huahauahuahuahuaha....muito bom, muito bom!!!
Tem que rir pra não chorar!!! Hehehehe...

hugh said...

Ei, alguma coisa sombrancelhas?

vivi said...

Não, Hugh, as suas eu adoro! Será que preciso ser mais explícita? Então tá! Isto é uma cantada, viu?!

hugh said...

Grrrr...

Patricia said...

Ai como é triste ver um resumo cruel e real da vida cotidiana...
Eu só não sabia que esses pentes de bolso servial pra pentear sobrancelhas...
Pobre Vicky... da próxima vez,ela deve exigir que seus colegas usem calça sem bolso... huahuaha

Patricia said...

Ah sim...
PARABÉNS ATRASADO PRA SENHORA AMENDOKREN... eu não sabia a data...

Patricia said...

Retificando...
A vítima foi a Daisy... heeheeh...representante de todas as solteironas sofredoras... hauahau

deni said...

putz! solteirona sofredora...bati no fundo do poço agora!! Hahahaha
Mas bem que tá sendo divertida a descida!!!

vivi said...

Sempre eloqüente, Xuxu! ;-D