Thursday, May 08, 2008

O que eu gosto nos americanos

Como é cediço, as embutidas andam quietinhas porque estão trabalhando muito lá na granja. É que uma gripe aviária das terras do sul, chamada popularmente de "ATS", anda matando os frangos. Além disso, há notícias de que um chupa-cabras foi visto à noite rondando os celeiros, e no dia seguinte alguns animais foram encontrados mortos. Pelas descrições feitas pelas testemunhas que viram o vulto nas sombras, e pelas marcas das presas nas vítimas caprinas, os ufólogos chegaram a conclusão de que se trata de um alienígena da espécie cinzenta do planeta Laus, que é o 6º planeta a girar ao redor de Tref, uma estrela de 4º grandeza. Esses extraterrenos chamados de cinzentos porque utiliza um estranho terno cinza, mal alinhavado.

Então, face ao terreno improdutivo que se tornou esse blog, resolvi colocar um post no ar, para evitar que os Sem-Blog ocupem esse latifúndio e depois consigam no Incra sua desapropriação.

Tá certo, a afirmação do título é um pouco forte, e tenho certeza que os mais conscientes politicamente vão achar que eu sou uma espécie de alienado terceiro mundista que, só porque compra gibi de super-herói, paga pau para aqueles imperialistas ianques. Porém, os mais próximos a mim vão lembrar do quanto pulei de felicidade quando os iraquianos, no início da invasão de seu país, conseguiram derrubar seu primeiro helicóptero americano.

Reconheço que todo império é sacana, e que os americanos fazem muita merda, praticaram atos monstruosos nos últimos anos, e na guerra fria se meteram de toda forma na política dos países latino-americano, apoiando regimes militares que deitavam seus pés no sangue dos rebeldes torturados. Também reconheço que a cultura americana tem algo de tremendamente superficial.

Porém, temos que reconhecer uma coisa: eles podem fazer grandes merdas, mas é incrível e insuperável sua capacidade para, logo depois, reconhecê-las, aprender com elas (mesmo que lentamente) e esfrega-las na própria cara de maneira desavergonhada, para nunca mais esquecer. Isso, dito de outra forma, é a perfeita democracia.

Digo isso porque há pouco vi as fotos do último filme do Oliver Stone, que ainda está em fase de produção, e contará a suja carreira do casal Laura e George Bush. Segundo o diretor, ele quer "mostrar como um pinguço vagabundo se tornou a mais poderosa figura do mundo".

Vejam as fotos abaixo. Uma do casal e outras duas do ator Josh Brolin com e sem maquiagem. O ator, vocês se lembram, é aquele coitado do "No Land for Old Movies With Happy Ends".








3 comments:

Vivi said...

Já é imperdível, nem que seja pra meter pau no Oliver Stone! Agora que o Josh conseguiu captar perfeitamente a cara de não-tem-ninguém-em-casa do Bush não dá pra negar!

deni said...

hehehehe...eu já tinha ouvido falar deste filme...o Concon é um ávido consumidor de qualquer coisa anti- América e anti-governo Bush...mais um assunto para a próxima cervejada!...quando vamos botar a cara na rua de novo, heim?
Essa seriedade e trabalho todo estão me matando...não consigo nem mais fazer piada....HELP!!!!!!!!!!

Anonymous said...

bem lembra o fahrenheit 11 de setembro...

salsicha