Wednesday, October 25, 2006

As Lingüiças - Parte III


A jovem, sentada diante do espelho, deixava que a mulher mais velha penteasse seus cabelos, mas não ouvia um só de seus conselhos. Ansiosa por um minuto de solidão, ela concordava com as afirmações mais inflamadas exibindo um vago sorriso. Dias antes, o mesmo sorriso, que aos olhos dos homens guardava algo de misterioso, havia cativado o rapaz que logo estaria batendo à porta. Depois que a outra deixou o recinto, a jovem pôde, sem esconder a satisfação, livrar-se do tecido que cobria seu corpo. Queria, sem testemunhas, examinar a si mesma. Não se deteve nos próprios defeitos nem enamorou-se de suas formosuras. Sem paixão, ela tentava imaginar com que olhar o jovem seria capaz de percebê-la. Num movimento rápido, trouxe a lâmpada para perto de si. Algo havia chamado sua atenção. Examinando com cuidado, percebeu que do seu umbigo, pouco mais curto que um dedo, emergia um fino cordão. Isso fez com que involuntariamente estremecesse: de algum modo pareceu-lhe ser um mau presságio. Sem titubear, abriu uma das gavetas. Entre as várias que ali encontrou, escolheu a fita mais bonita e, num movimento habilidoso, envolveu a cintura com um laço. Na manhã seguinte, perdida no meio dos seus lençóis, tendo nos olhos mais lágrimas do que poderia disfarçar, tentou em vão esquecer. Em sua mente, insistiam em ter lugar as lembranças da noite anterior. Ignorando seus pedidos, o jovem afoito desnudara sua cintura. Assim que percebeu o fio branco, sem esconder a expressão de repulsa, afastou-a violentamente de si. Ainda deitada, acompanhou os derraderios momentos, quando ele recolheu as poucas coisas que trouxera e partiu sem voltar os olhos para trás.

5 comments:

deni said...

Que história triste! Pobre lingüiçinha...tão incompreendida!!

vivi said...

Eu também fiquei com pena dela!

Patricia said...

Rejeição... êta palavrinha dolorida... pobre criatura... pobre coraçãozinho despedaçado...

hugh said...

Tá aí, revela-se uma nova escritora. Meu amor, você realmente tem talento! Queria ver você ensaiar um pequeno conto!

vivi said...

Meu querido, vc é corujão! mas gostei muito do seu elogio: fiquei toda boba! Chuac!