Monday, November 13, 2006

CHINELAGEM!!! Dando uma rapidinha!

Ha! Vocês pediram e eu voltei! Também, se não tivessem pedido, eu voltava igual....tava há muito tempo sem falar umas besteiras, menos familiares, digamos assim.
Desse modo, seguindo os conselhos da Vivi, resolvi brindá-los com um pequeno conto cômico-erótico.
Melany era uma senhoura respeitável, mãe de família, pessoa da sociedade, educação católica e tudo mais que uma mulher digna da capa da Caras pode ser. Tudo ia bem na sua pacata vida de mulher casada, fiel e temente à Deus até que um dia, enquanto finalizava seu make up básico, num toilet repeitável, numa festa high society, verificou que tinha esquecido o seu blush pêssego melba da Lâncome em casa. Para a sua sorte, outra senhoura igualmente distinta aproximou-se dela naquele mesmo momento e, gentilmente, lhe ofereceu ajuda, puxando da bolsa um luxuosíssimo estojo dourado. Melany abriu o estojo e, maravilhada, verificou que aquele era exatamente o tom que há muito procurava. Melany então começou a aplicar o pó em sua face quando, acidentalmente aspirou um pouco do conteúdo do estojo, o que lhe produziu uma coceira aflita no nariz, fazendo-a espirrar. Curiosamente, Melany nunca havia espirrado na sua vida, até então. Foi aí que se deuum fato estranho, que modificou para sempre a vida de Melany.
Havia algo de peculiar nas narinas de Melany, que ao serem tocadas suavemente pelo vento ou pelo pó, produziam uma sensação inebriante e sensual que a faziam fechar os olhos e não aguentando mais aquele prazer absoluto culminavam num som orgásmico e devastador. Era uma situação embaraçosa, uma vez que os espirros começaram a ser mais freqüentes (provocados ou não) e em locais públicos e, muitas vezes, na presença de menores de idade. Mas Melany não podia fazer nada, não podia evitar aqueles incidentes que secretamente lhe proporcionavam tanto prazer. Acusada de atentado violento ao pudor, evitada pelas mães dos coleguinhas de seu jovem filho, acusada pelo marido de conduta indecente e vergonhosa, Melany viu-se em desespero, mas não podia controlar-se e furtivamente escondia-se nos banheiros com o estojo de pó compacto na ânsia de saciar o seu desejo.

6 comments:

vivi said...

Eu sinto pena de Zeus e Rígido, que sentam a seu lado. Imagino o quanto deve ser difícil pros dois conter suas reações naturais...

hugh said...

Hein???

deni said...

Huahuahuahuahuahuaha....Zeus e Rígido!!!! Matou à pau!!! Com o perdão do trocadilho infâme!!

Nessita! said...

huaohuehaiehaiuehoiuaheiua

divertidíssimo!

Anonymous said...

Hahahaha, achei muito engraçado essa historinha. Bem criativa. Mas eu tenho rinite, era mais fácil eu morrer cheirando um estojo de pó compacto do que ter um orgasmo.
Jane

deni said...

Ha!!!Ganhamos mais uma leitora!!! Não tô cabendo dentro das calças!!! Hehehehehe